Resenha: O Cortiço, de Aluísio Azevedo


ISBN-13: 9786599044540
ISBN-10: 6599044549
Ano: 2020 / Páginas: 232
Idioma: português
Editora: Pé da Letra

A série Prazer de Ler apresenta, em seu novo volume, a principal referência da estética realista-naturalista na literatura brasileira, a obra-prima de Aluísio de Azevedo, O Cortiço. Ambição e exploração se misturam nessa envolvente e sombria história de uma habitação coletiva da capital do Segundo império. De um lado, a burguesia gananciosa e interesseira, disposta a tudo para enriquecer e subir na vida. De outro, personagens estereotipados, cheios de vícios e patologias, comparados a animais e movidos pelo instinto e pela fome. Todas as existências entrelaçadas e cruzadas em torno do cortiço de São Romão. Pela espetacular representação da vida cotidiana da cidade do Rio de Janeiro, esboçada com um colorido e com uma objetividade quase fotográficos, esta obra continua como um dos mais poderosos retratos da realidade brasileira. Um clássico da literatura nacional que, passado mais de um século de sua publicação, ainda tem o poder de emocionar e inquietar.

RESENHA

O Cortiço, de Aluísio Azevedo, é um romance naturalista publicado em 1890. A obra retrata a vida de moradores de um cortiço no Rio de Janeiro do século XIX, e é considerada um dos clássicos da literatura brasileira.

Aspectos históricos

O romance foi escrito durante o Segundo Reinado, um período de transição na história do Brasil. O país estava se modernizando, mas ainda era marcado por desigualdades sociais e econômicas. O cortiço era um símbolo dessas desigualdades, abrigando pessoas de diferentes classes sociais, raças e origens.

Personagens

O romance apresenta uma galeria de personagens complexas e verossímeis. Entre os principais personagens estão:

  • João Romão: um português ambicioso que enriquece explorando os moradores do cortiço.
  • Bertoleza: uma escrava alforriada que é amante de João Romão.
  • Jerônimo: um operário português que se apaixona por Rita Baiana.
  • Rita Baiana: uma mulata sensual e sedutora.
  • Pombinha: uma jovem ingênua que é seduzida por João Romão.

Enredo

O enredo do romance gira em torno da rivalidade entre João Romão e Miranda, outro proprietário de cortiço. A rivalidade entre os dois homens é um reflexo da luta de classes na sociedade brasileira.

O romance também aborda temas como a pobreza, a exploração, o racismo e o amor.

Ensinamentos

O romance de Aluísio Azevedo oferece uma crítica contundente à sociedade brasileira do século XIX. A obra mostra as desigualdades sociais, a exploração dos trabalhadores e a violência contra as mulheres.

O romance também ensina a importância do amor, da amizade e da solidariedade.

Ano de lançamento

O romance foi publicado pela primeira vez em 1890, pela Livraria Garnier.

Crítica

O romance foi recebido com críticas positivas pela crítica. O escritor Machado de Assis, por exemplo, elogiou a obra por seu realismo e seu retrato da sociedade brasileira.

Recepção

O romance é considerado um clássico da literatura brasileira. Ele foi traduzido para diversos idiomas e é estudado em escolas e universidades de todo o mundo.

Conclusão

O Cortiço é uma obra importante da literatura brasileira. O romance oferece uma crítica contundente à sociedade brasileira do século XIX, e ainda hoje é relevante para compreendermos as desigualdades sociais e econômicas do país.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© all rights reserved
made with by templateszoo