[RESENHA #588] A rainha, de Andrew Morton


APRESENTAÇÃO

Em A rainha, o biógrafo Andrew Morton, autor best-seller referência em biografias sobre a monarquia britânica, apresenta ao leitor detalhes inéditos a respeito da monarca mais singular e consagrada da Grã-Bretanha.

Após a morte prematura do pai, George VI, Elizabeth Alexandra Mary se viu como Elizabeth II, a mais nova rainha da Grã-Bretanha.

A rainha relata como, tendo ascendido ao trono aos 25 anos, a discreta monarca enfrentou uma série de contratempos e conflitos familiares, mas também protagonizou importantes triunfos, sempre com muita seriedade, comprometimento e respeito à tradição ― características que se tornaram símbolos marcantes dos setenta anos de seu reinado.

Ao mesmo tempo chefe de Estado e da Igreja da Inglaterra e líder da Grã-Bretanha e da Commonwealth, Elizabeth II provou sua resiliência e seu comprometimento ao dar tudo de si para manter a monarquia britânica relevante cultural, social e politicamente ― enfrentando, por vezes, resistência dentro da própria instituição. Ainda assim, as maiores crises que ela precisou administrar surgiram em sua família, sempre sob intenso escrutínio da opinião pública: os rumores sobre a infidelidade do marido, o príncipe Philip, o lapso conjugal da irmã, a princesa Margaret, a trágica morte da princesa Diana, na época sua nora, e o recente distanciamento de Harry e Meghan dos deveres reais.

Em A rainha, Andrew Morton, autor do best-seller Diana: Sua verdadeira história, celebra o longo reinado de Elizabeth II com um compilado de todas as polêmicas, os desafios e também os méritos da singular soberana; além de contar com um encarte que atravessam toda a vida da soberana e trazer um Epílogo com considerações e previsões a respeito das futuras gerações da monarquia britânica após essa segunda era elisabetana.


RESENHA

Uma vida repleta de segredos e mistérios, mas construída de forma majestosa em seu caminho até o fim de seu reinado, a vida de Elizabeth II iniciou-se após a abdicação de seu tio, David, para casar-se com Wallis Simpson, conseguinte, Elizabeth tornou-se rainha por ser a próxima de sucessão na linha do trono.

Elizabeth teve o reinado mais longo da história da Inglaterra, tendo se mantido no poder por sete décadas. Após o falecimento precoce de seu pai, ela começara a enfrentar um novo caminho como mulher, mãe, esposa e chefe da casa de Windsor: seu reinado abarcou os principais acontecimentos sociais, mundiais e políticos, dentre eles : A descoberta do antibiótico e do DNA; Ascensão e queda da segunda guerra mundial; o primeiro homem à pisar na lua; luta e prisão de Nelson Mandela; início da internet, wi-fi e smartphones estão entre os acontecimentos abarcados durante o reinado da rainha.

A vida da rainha era conturbada no seio familiar, diariamente, milhares de especulações e dados curiosos rondaram sua família, como a morte do pai, divórcio de dois filhos, rumores da suposta infidelidade do marido e o rompimento conturbado do casamento da irmã.

Em 2022, iniciou-se o Jubileu de Palatina, o evento que comemorava os setenta anos de vida e reinado da rainha, ao invés de afastar-se de suas funções, encarou-as com vigor, operando toda uma nação à uma sucessão de acontecimentos que a tornaram única para todo o planeta por seus posicionamentos, decisões e pelo crescimento econômico considerável da Inglaterra. 


A obra de Morton é mais um marco em suas várias biografias ao redor do mundo, e uma das mais fiéis e aclamadas pela crítica em tópicos de assuntos de interesse coletivo.

O livro editado pela editora Best Seller, selo de autoajuda e biografias do Grupo Editorial Record, é uma obra primorosa com uma tradução extremamente precisa e elaborada feita por Alessandra Bonrruquer. A obra consta com quatorze capítulos que vão desde à vida antes da coroa à sua descrições mais polêmicas acerca da princesa Diana, os funerais familiares, os escândalos e os segredos advindos de sua coroação.

Uma obra para se ler em uma única sentada. Simplesmente fantástico.

O AUTOR

Andrew Morton estudou História na Universidade de Sussex, Inglaterra, com foco na aristocracia e na década de 1930. Escreveu diversas biografias de celebridades, assim como de alguns membros da família real britânica, como as do duque e da duquesa de Windsor e de Meghan Markle. A biografia que escreveu em colaboração com a princesa de Gales, Diana: Sua verdadeira história, alcançou o topo da lista de mais vendidos do New York Times e foi descrita pelos críticos como “um clássico moderno” e a obra “que mais perto chega de uma autobiografia da princesa”.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© all rights reserved
made with by templateszoo