Livros da bíblia: Do antigo ao Novo Testamento, curiosidades e fatos históricos


Nesta nova série, iremos apresentar resumo dos capítulos da bíblia, curiosidades e estudos da palavra. Leia abaixo uma matéria completa que mostra todos os livros do antigo e novo testamento e um resumo básico de cada capítulo, confira também algumas curiosidades sobre a bíblia e o protestantismo.

Antigo Testamento

1. Gênesis: Conta a criação do mundo e dos primeiros seres humanos, a história de Abraão e seus descendentes, e a formação do povo de Israel.

2. Êxodo: Narra a libertação dos israelitas da escravidão no Egito, liderados por Moisés, e a jornada pelo deserto até a Terra Prometida.

3. Levítico: Apresenta leis e regulamentos relacionados ao culto e ao sacerdócio.

4. Números: Relata o recenseamento do povo de Israel, sua peregrinação no deserto e a preparação para entrar na Terra Prometida.

5. Deuteronômio: Moisés recapitula as leis e os mandamentos de Deus para o povo antes de sua entrada na Terra Prometida.

6. Josué: Descreve a conquista de Canaã pelos israelitas, liderados por Josué, após a morte de Moisés.

7. Juízes: Conta a história de juízes que lideraram o povo de Israel em períodos de opressão e libertação.

8. Rute: Narra a história de uma moabita chamada Rute, que se torna parte da linhagem de Davi e, posteriormente, de Jesus.

9. 1 Samuel: Relata a vida de Samuel, o último juiz de Israel, e a transição para o reinado dos primeiros reis, como Saul e Davi.

10. 2 Samuel: Continua a história de Davi como rei de Israel, incluindo suas vitórias e derrotas.

11. 1 Reis: Descreve a vida de Salomão, filho de Davi, seu reinado e a construção do templo em Jerusalém.

12. 2 Reis: Continua a narrativa dos reis de Israel e Judá, incluindo a divisão do reino e o exílio do povo.

13. 1 Crônicas: Apresenta genealogias e a história de Israel desde Adão até o reinado de Davi.

14. 2 Crônicas: Continua a história de Israel, destacando os reis e os eventos que ocorreram no reino.

15. Esdras: Relata o retorno dos exilados babilônicos e a reconstrução do templo em Jerusalém.

16. Neemias: Descreve a reconstrução das muralhas de Jerusalém e a restauração da cidade após o exílio.

17. Ester: Narra a história de Ester, uma jovem judia que se torna rainha da Pérsia e salva seu povo do extermínio.

18. Jó: Apresenta a história de um homem justo chamado Jó, que passa por grandes provações, mas mantém sua fé em Deus.

19. Salmos: Uma coleção de cânticos e poemas que expressam louvor, adoração, lamentações e súplicas a Deus.

20. Provérbios: Contém uma série de ensinamentos e conselhos práticos para a vida diária.

21. Eclesiastes: Reflexões sobre a vida e a busca pelo sentido da existência.

22. Cantares de Salomão: Uma coleção de poemas líricos que retratam o amor entre um noivo e uma noiva.

23. Isaías: Profecias do profeta Isaías sobre o julgamento, a restauração e a vinda do Messias.

24. Jeremias: Profecias e advertências de Jeremias sobre a destruição de Jerusalém e o exílio do povo.

25. Lamentações: Um lamento poético sobre a destruição de Jerusalém e o sofrimento do povo.

26. Ezequiel: Profecias de Ezequiel sobre a restauração de Israel e a vinda do Espírito Santo.

27. Daniel: Conta a história de Daniel e seus companheiros na corte do rei Nabucodonosor, incluindo visões e profecias.

28. Oséias: Profecias de Oséias sobre o amor de Deus por Israel e a infidelidade do povo.

29. Joel: Profecias de Joel sobre o Dia do Senhor e o derramamento do Espírito Santo.

30. Amós: Profecias de Amós sobre a injustiça social e o chamado ao arrependimento.

31. Obadias: Profecias de Obadias contra Edom, um reino inimigo de Israel.

32. Jonas: A história de Jonas, que foi enviado por Deus para pregar a Nínive e seu arrependimento.

33. Miquéias: Profecias de Miquéias sobre a justiça, a misericórdia e a vinda do Messias.

34. Naum: Profecias de Naum sobre a destruição de Nínive.

35. Habacuque: Diálogos entre Habacuque e Deus sobre a justiça divina.

36. Sofonias: Profecias de Sofonias sobre o julgamento e a restauração de Israel.

37. Ageu: Profecias de Ageu sobre a reconstrução do templo em Jerusalém.

38. Zacarias: Profecias de Zacarias sobre a restauração de Jerusalém e a vinda do Messias.

39. Malaquias: Profecias de Malaquias sobre a vinda do Messias e o chamado ao arrependimento.

Novo Testamento


40. Mateus: O evangelho que relata a vida, os ensinamentos, os milagres, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, enfatizando a chegada do Reino de Deus.

41. Marcos: O evangelho que narra a vida e os ensinamentos de Jesus Cristo, destacando sua natureza servil e seu propósito de salvar a humanidade.

42. Lucas: O evangelho que apresenta uma narrativa detalhada da vida de Jesus, incluindo suas parábolas, milagres e interação com pessoas de diferentes origens.

43. João: O evangelho que se concentra na divindade de Jesus Cristo, enfatizando sua natureza como o Verbo encarnado e o Salvador do mundo.

44. Atos dos Apóstolos: Descreve os primeiros dias da Igreja Cristã, desde a ascensão de Jesus até a propagação do evangelho pelos apóstolos e a conversão de Paulo.

45. Romanos: Uma carta escrita por Paulo aos cristãos em Roma, apresentando uma explicação detalhada da salvação pela fé em Jesus Cristo.

46. 1 Coríntios: Uma carta de Paulo aos cristãos em Corinto, abordando questões de divisão, imoralidade e a importância do amor e dos dons espirituais.

47. 2 Coríntios: Uma carta em que Paulo expressa sua preocupação e defesa apostólica em relação à igreja de Corinto.

48. Gálatas: Uma carta de Paulo aos cristãos na região da Galácia, enfatizando a salvação pela fé e não pelas obras da lei.

49. Efésios: Uma carta de Paulo aos cristãos em Éfeso, abordando a unidade da igreja, a vida em Cristo e a batalha espiritual.

50. Filipenses: Uma carta de Paulo aos cristãos em Filipos, expressando sua alegria e encorajamento, além de enfatizar a importância da humildade e da confiança em Deus.

51. Colossenses: Uma carta de Paulo aos cristãos em Colossos, destacando a supremacia de Cristo, a liberdade em Cristo e a vida transformada.

52. Tessalonicenses: Uma carta de Paulo aos cristãos em Tessalônica, encorajando-os em sua fé, exortando-os a viver de maneira santa e confortando-os sobre a vinda de Cristo.

53. 2 Tessalonicenses: Uma segunda carta de Paulo aos cristãos em Tessalônica, reforçando a importância da perseverança na fé e fornecendo mais informações sobre a segunda vinda de Cristo.

54. 1 Timóteo: Uma carta de Paulo a Timóteo, seu discípulo, fornecendo orientações sobre liderança na igreja, ensinamentos corretos e a importância da piedade.

55. 2 Timóteo: Uma segunda carta de Paulo a Timóteo, encorajando-o em seu ministério, exortando-o a permanecer fiel e lembrando-o da importância das Escrituras.

56. Tito: Uma carta de Paulo a Tito, instruindo-o sobre a liderança na igreja, a importância do comportamento piedoso e a rejeição de falsas doutrinas.

57. Filemom: Uma carta de Paulo a Filemom, pedindo-lhe para perdoar e receber de volta Onésimo, seu escravo fugitivo, agora convertido ao cristianismo.

58. Hebreus: Uma carta que exorta os cristãos judeus a permanecerem firmes em sua fé em Cristo, destacando a superioridade de Jesus e o sacrifício perfeito que ele fez.

59. Tiago: Uma carta de Tiago, meio-irmão de Jesus, que enfatiza a importância da fé genuína, da sabedoria prática e das obras que demonstram a fé.

60. 1 Pedro: Uma carta de Pedro aos cristãos dispersos, encorajando-os em meio às perseguições, exortando-os a viverem de maneira santa e a terem esperança na glória futura.

61. 2 Pedro: Uma segunda carta de Pedro, alertando sobre falsos mestres, enfatizando a importância da verdade e exortando à santidade e à espera do retorno de Cristo.

62. 1 João: Uma carta de João, enfatizando o amor de Deus, a importância da obediência e a necessidade de amar e perdoar os outros.

63. 2 João: Uma breve carta de João, advertindo contra falsos ensinamentos e exortando à fidelidade à verdade de Cristo.

64. 3 João: Uma carta de João a Gaio, elogiando sua fidelidade e exortando-o a continuar apoiando os missionários e a verdade do evangelho.

65. Judas: Uma carta de Judas, meio-irmão de Jesus, alertando sobre falsos mestres e exortando os crentes a permanecerem firmes na fé e a lutar pela verdade.

66. Apocalipse: Uma revelação dada a João, descrevendo visões simbólicas sobre o fim dos tempos, o juízo final e a vitória final de Cristo sobre o mal.

Esses são os 66 livros da Bíblia, cada um com sua própria mensagem e propósito. Cada livro oferece uma perspectiva única sobre a história, a fé e o relacionamento com Deus.

Quais as diferenças entre os livros da igreja católica e protestante?

As diferenças entre os livros da Bíblia da Igreja Católica e das denominações protestantes estão relacionadas ao cânon, ou seja, a lista de livros considerados inspirados e autoritativos. A principal diferença é que a Igreja Católica reconhece sete livros adicionais no Antigo Testamento, conhecidos como Deuterocanônicos, enquanto as denominações protestantes os consideram apócrifos ou não canônicos.

Os sete livros adicionais do Antigo Testamento reconhecidos pela Igreja Católica são: Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico (também conhecido como Sirácida), Baruque, 1 Macabeus e 2 Macabeus, além de partes adicionais em Ester e Daniel. Esses livros são encontrados na versão da Bíblia católica conhecida como Vulgata.

As denominações protestantes, por sua vez, seguem o cânon hebraico, que não inclui esses sete livros adicionais. Elas consideram esses livros como apócrifos, o que significa que eles são considerados úteis para leitura e estudo, mas não são considerados como tendo a mesma autoridade e inspiração divina dos outros livros canônicos.

Além disso, algumas denominações protestantes também têm diferenças em relação aos livros do Novo Testamento. A maioria das denominações protestantes concorda com a lista de 27 livros do Novo Testamento, mas existem algumas variações menores. Por exemplo, a Igreja Ortodoxa tem um cânon que inclui alguns livros adicionais no Novo Testamento, como o livro de 1 Esdras.

É importante ressaltar que essas diferenças no cânon da Bíblia não afetam as principais doutrinas e ensinamentos compartilhados por católicos e protestantes, que estão centrados na pessoa de Jesus Cristo e na salvação pela fé. As diferenças no cânon são mais uma questão histórica e de tradição entre as diferentes ramificações do cristianismo.

Quais as principais mudanças ocorreram na religião com o surgimento do protestantismo?

O surgimento do protestantismo trouxe uma série de mudanças significativas na religião cristã. Algumas das principais mudanças incluem:

1. Autoridade da Bíblia: O protestantismo enfatizou a autoridade suprema da Bíblia como a Palavra de Deus, em contraste com a tradição e a autoridade papal da Igreja Católica. Os reformadores protestantes defendiam a ideia de que a Bíblia deveria ser acessível a todos os crentes e interpretada individualmente.

2. Salvação pela fé: O protestantismo enfatizou a crença de que a salvação é obtida pela fé em Jesus Cristo, e não pelas obras ou méritos humanos. Os reformadores destacaram a importância da graça de Deus e da fé como os meios pelos quais uma pessoa é justificada diante de Deus.

3. Sacerdócio de todos os crentes: O protestantismo enfatizou a ideia de que todos os crentes têm acesso direto a Deus e podem se relacionar com Ele sem a necessidade de intermediários. Isso desafiou a hierarquia clerical da Igreja Católica e deu ênfase à responsabilidade individual dos crentes em sua fé e prática.

4. Reforma litúrgica: Os reformadores protestantes introduziram mudanças significativas na liturgia e na adoração. Eles enfatizaram a importância do culto em língua vernácula, em vez do latim utilizado pela Igreja Católica. Também simplificaram a liturgia, eliminando elementos considerados desnecessários ou contrários à doutrina bíblica.

5. Papel da igreja e dos sacramentos: O protestantismo redefiniu o papel da igreja, enfatizando a comunidade de crentes e a importância da pregação da Palavra de Deus. Além disso, muitas denominações protestantes reduziram o número de sacramentos de sete para dois: batismo e ceia do Senhor.

6. Rejeição de práticas e doutrinas católicas: O protestantismo rejeitou várias práticas e doutrinas da Igreja Católica, como a veneração de santos e relíquias, o purgatório, a venda de indulgências e a autoridade papal. Os reformadores buscaram retornar às raízes bíblicas e reformar a igreja de acordo com seus ensinamentos.

Essas mudanças provocaram uma profunda divisão dentro do cristianismo ocidental e levaram ao surgimento de várias denominações protestantes, cada uma com suas próprias ênfases teológicas e práticas. O protestantismo teve um impacto duradouro na história religiosa e cultural, moldando a forma como o cristianismo é praticado e compreendido até os dias de hoje.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© all rights reserved
made with by templateszoo