[RESENHA #763] Contos completos, de Caio Fernando Abreu


Pela primeira vez, a reunião de todos os contos de um dos autores mais viscerais da contracultura brasileira.

Publicados entre as décadas de 1970 e 1990, os contos de Caio Fernando Abreu são o retrato de uma geração. Os tempos autoritários e sombrios dos anos de chumbo aparecem nesta reunião não apenas como pano de fundo, mas como parte constituinte de uma prosa que se consagrou pelo estilo combativo e radical. Vida e obra, aqui, se misturam a ponto de biografia se transformar em literatura e vice-versa.

Em Contos completos, o leitor tem a chance de percorrer toda a produção do autor no gênero da prosa breve. O volume abarca seis títulos ― Inventário do ir-remediável (1970), O ovo apunhalado (1975), Pedras de Calcutá (1977), Morangos mofados (1982), Os dragões não conhecem o paraíso (1988) e Ovelhas negras (1995) ―, além de dez contos avulsos, sendo três deles inéditos em livro. O livro inclui, por fim, textos de Italo Moriconi, Alexandre Vidal Porto e Heloisa Buarque de Hollanda, que jogam luz sobre a atualidade de Caio Fernando Abreu.

Ao escrever sobre amor, morte, medo, sexualidade, solidão e alegria, o autor de Onde andará Dulce Veiga? constrói personagens complexos e absolutamente profundos em cada detalhe. Com verve e sensibilidade, o “escritor da paixão”, na alcunha de Lygia Fagundes Telles, soube como ninguém combinar delírio e lucidez, euforia e angústia, luz e sombra.

RESENHA

Contos completos é uma obra que reúne toda a produção do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu no gênero da prosa breve. Publicados entre as décadas de 1970 e 1990, os contos refletem a visão de uma geração marcada pelos tempos autoritários e sombrios da ditadura militar, pela contracultura, pela diversidade sexual e pela angústia existencial.

O estilo de Caio Fernando Abreu é econômico, direto e poético, misturando realidade e fantasia, delírio e lucidez, euforia e angústia. Suas histórias são repletas de personagens complexos, que vivem à margem da sociedade, em busca de amor, sentido e liberdade. O autor aborda temas como sexo, drogas, morte, solidão, violência, medo e alegria, sem medo de chocar ou emocionar o leitor.

O livro contém seis coletâneas de contos: Inventário do irremediável (1970), O ovo apunhalado (1975), Pedras de Calcutá (1977), Morangos mofados (1982), Os dragões não conhecem o paraíso (1988) e Ovelhas negras (1995), além de dez contos avulsos, sendo três deles inéditos em livro. Cada coletânea tem sua própria identidade e atmosfera, mas todas revelam a sensibilidade e a originalidade do autor.

Alguns dos contos mais famosos e impactantes são: "Sargento Garcia", que narra o encontro entre um jovem militante e um torturador; "Dama da noite", que apresenta o monólogo de uma travesti solitária; "Os sobreviventes", que mostra a vida de um grupo de amigos em meio à epidemia da AIDS; "O amor, essa palavra", que conta a história de um casal de lésbicas que se separa; e "Aqueles dois", que descreve a relação entre dois homens que trabalham no mesmo escritório.

Os contos de Caio Fernando Abreu são ricos em simbologia e referências culturais, que vão desde a mitologia grega até a música pop, passando pela religião afro-brasileira, pelo cinema, pela literatura e pela astrologia. O autor também explora a linguagem de forma criativa, usando neologismos, estrangeirismos, gírias e coloquialismos.

A importância e a relevância cultural de Caio Fernando Abreu são inegáveis. Ele foi um dos expoentes da literatura brasileira contemporânea, que soube retratar com maestria o seu tempo e o seu espaço, além de expressar os sentimentos e os conflitos de uma geração. Sua obra influenciou e continua influenciando diversos escritores, artistas e leitores, que se identificam com a sua voz e a sua visão de mundo.

Caio Fernando Abreu nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, em 1948. Desde cedo, demonstrou interesse pela literatura, publicando seu primeiro conto aos 18 anos. Estudou letras e artes cênicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mas não concluiu os cursos. Trabalhou como jornalista em diversas revistas e jornais, como Veja, Manchete, Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo. Em 1973, exilou-se na Europa, fugindo da repressão da ditadura militar. Voltou ao Brasil em 1974 e retomou sua carreira literária. Morou em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, onde participou ativamente da cena cultural. Em 1994, descobriu ser portador do vírus HIV e voltou a morar com os pais em Porto Alegre. Morreu em 1996, aos 47 anos, vítima de complicações decorrentes da AIDS.

Contos completos é um livro essencial para quem quer conhecer a obra e a personalidade de Caio Fernando Abreu, um dos maiores nomes da literatura brasileira. É uma obra que emociona, provoca, surpreende e encanta, pela sua força, pela sua beleza e pela sua autenticidade. É um livro que merece ser lido, relido e compartilhado, pois é um testemunho vivo de uma época, de uma cultura e de uma arte.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© all rights reserved
made with by templateszoo