[RESENHA #691] Less está perdido, de Andrew Sean Greer



APRESENTAÇÃO: Contrariando todas as expectativas, a vida vai bem para Arthur Less: ele é um autor relativamente bem-sucedido, que vive uma relação relativamente estável com seu companheiro, Freddy Pelu. Mas nem tudo são flores: a morte de um antigo amor e uma repentina crise financeira fazem Less fugir dos seus problemas mais uma vez ao aceitar uma série de bicos literários que o forçam a atravessar os Estados Unidos.
Less perambula da costa do Pacífico à costa do Atlântico, onde nasceu, e no caminho encontra uma miríade de personagens no mínimo peculiares ao lado de sua dupla fiel: uma pug preta chamada Dolly e uma van convertida em motor-home chamada Rosina. Ele deixa crescer um bigode, abandona seu característico terno cinza e se disfarça, com uma gravata e um chapéu de caubói, de legítimo estadunidense... um disfarce que nem sempre funciona tão bem assim, porque ele segue sendo confundido ou com um holandês — longa história, melhor ler o livro para entender —, ou com outro Arthur Less — não o padre nem o fazendeiro nem o ator —, ou, o pior de todos, com um "péssimo gay".

Mas essa viagem de Less deixa bem claro que não se pode fugir de si mesmo — não importa quantos desertos, pântanos e costas sejam cruzados. Arthur Less precisa encarar seus demônios pessoais: do seu pai distante e seu relacionamento agora a distância com Freddy a reconhecer e encarar seus privilégios. Com a perspicácia e a musicalidade que fizeram de As desventuras de Arthur Less um best-seller vencedor do Pulitzer, Less está perdido é um romance profundo e divertido sobre os mistérios da vida, os enigmas do amor e as histórias que contamos pelo caminho.

RESENHA


Less está perdido é o segundo romance da saga de Arthur Less, sendo o primeiro, o título As desventuras de Arthur Less, premiado com o prêmio pulitzer. A obra é uma sátire da vivência de um homem branco, gay e americano e suas desventuras ao lado de seu companheiro Freddie.

“Less está perdido”, de Andrew Sean Greer, é uma sequência cômica e peculiar do romance vencedor do Pulitzer “Less” de 2017. O livro traz de volta o excêntrico romancista Arthur Less, que agora embarca em uma nova jornada após uma morte inesperada e problemas financeiros.

A narrativa é contada por Freddy Palu, namorado de Arthur Less. A história começa com Arthur Less aceitando uma comissão lucrativa para escrever um perfil do excêntrico romancista HH Mandern. Acompanhado pelo pug “louco” Dolly, Less viaja pelo deserto de Mojave até Santa Fé, subindo ao longo do Mississippi, passando por Alabama e Geórgia, até sua cidade natal e além.

Durante a viagem, Less se envolve em uma série de situações absurdas e hilárias. Ele inunda acidentalmente uma comunidade, dorme em uma tenda e desce um cânion montado em um burro. Apesar das adversidades, Less mantém seu senso de humor e sua capacidade de se adaptar às circunstâncias mais inusitadas.

O livro também explora a relação de Less com seu pai distante e suas tentativas de lidar com a ansiedade e a incerteza. Através de sua jornada, Less é forçado a confrontar seus medos e inseguranças, enquanto tenta encontrar um sentido para sua vida.

“Less está perdido” é uma obra que combina humor ácido com momentos de profunda reflexão. Greer consegue equilibrar perfeitamente esses dois elementos, criando uma história que é ao mesmo tempo divertida e emocionalmente envolvente.

No entanto, o livro também levanta questões importantes sobre a natureza da vida e a busca por significado. Less se pergunta se estamos vivendo uma tragédia ou uma comédia, ou talvez algo entre os dois. Essas questões, juntamente com a jornada pessoal de Less, criam um diálogo permanente com o leitor.

Em resumo, “Less está perdido” é uma leitura envolvente e reflexiva. É um livro que fará você rir, chorar e, acima de tudo, pensar sobre a vida e o que realmente importa.

Opiniões de jornais sobre a obra:

  • The Guardian descreve “Less está perdido” como uma “odisséia cômica”, destacando o humor ácido de Greer e a atenção à sublimidade da paisagem em mudança. Eles também mencionam que a ansiedade é um dos pilares da caracterização de Less, impulsionando seu progresso picaresco através deste romance de viagem.
  • O Ministério dos Livros, por outro lado, menciona que o livro não os cativou como esperado, embora reconheçam a boa qualidade literária de Greer e a boa construção do personagem de Less.
  • A Esquina da Cultura descreve “As Desventuras de Arthur Less” como um livro forte e essencial, que cria interesse e provoca algo dentro do leitor.
  • Finalmente, a Travessa menciona que “Less está perdido” é uma história maravilhosa sobre viagem, reunindo uma boa quantidade de humor com momentos comoventes, e que os fãs vão devorar esse livro.
Em síntese, esta é uma obra espetacular que prende do início ao fim, certamente, muito melhor do que o primeiro livro do autor.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© all rights reserved
made with by templateszoo